Rio Express

UDRRIO EXPRESS

O Roteiro Rio Express passa pelos principais monumentos da cidade:

Valor R$ 229,99 por pessoa

  • Cristo Redentor (visita o monumento)
  • Pão de Açúcar (visita o monumento)
  • Maracanã ( panorâmico )
  • Sambódromo ( panorâmico )
  • Catedral Metropolitana (visita o monumento)
  • Cinelândia ( panorâmico )
  • Teatro Municipal ( panorâmico )
  • Praias de Copacabana, Ipanema, Leblon ( panorâmico )

INCLUÍDO

  • Guia credenciado pelo Ministério do Turismo
  • Transporte de ida e volta numa van com ar-condicionado.
  • Ingresso do Pão de Açúcar e Cristo Redentor

DURAÇÃO

  • O Tour Um Dia no Rio e de aproximadamente 6 horas de duração.
  • Com saídas diárias garantidas a partir das 13:00 horas (Tarde)

VALORES

  • Valor por pessoa: R$ 229,99
  • Crianças de 0 á 4 anos: Grátis
  • Crianças de 5 á 9 anos: Paga Meia
  • Crianças a partir de 10 anos: Integral

FREQUÊNCIA

  • Diário

EMBARQUE
Os locais de embarque são:

  • Leblon
  • Ipanema
  • Copacabana
  • Botafogo
  • Flamengo
  • Centro

* Caso esteja hospedado em outro bairro entre em contato para maiores informações
* Nossos guias falam Português, Espanhol e Inglês, caso precise de outra língua, favor comunicar no momento da reserva
* Os valores, roteiros e condições ficam sujeito às mudanças sem aviso prévio de acordo com as condições climáticas ou alguma alteração de nossos fornecedores.
Estácio de Sá foi o fundador da Cidade do Rio de Janeiro, em 1º de março de 1565. O objetivo da fundação foi dar início à expulsão dos franceses que já estavam na área há 10 anos. Morreu em 20 de fevereiro de 1567, um mês depois de expulsar os franceses, em conseqüência de uma infecção no rosto causada por uma flecha envenenada, que o feriu durante os combates.
Mem de Sá, terceiro governador-geral do Brasil e tio do fundador da cidade transferiu, após a morte de Estácio de Sá, a cidade da área da Urca para o Morro do Castelo com o objetivo de melhor defender a cidade de ataques. Passou, em seguida, o governo do Rio de Janeiro para outro sobrinho, Salvador Correia de Sá.
Com o primeiro governo de Salvador Correia de Sá em 1568, inicia-se o que poderíamos chamar de dinastia carioca dos Correia de Sá. Com grande e enorme prestígio no Rio de Janeiro, por quase um século três gerações dos Correia de Sá governariam o Rio de Janeiro repetidas vezes. A Ilha do Governador possui esse nome por ter sido um engenho de açúcar de Salvador.
Por dentro da História do Rio de Janeiro
O litoral fluminense atraiu colonizadores portugueses e corsários franceses em razão do rendoso comércio de pau-brasil.
Combatendo os franceses instalados na Baía de Guanabara, Estácio de Sá, sobrinho do governador geral Mem de Sá, funda a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, em 1º de março de 1565.
Ocupando posição estratégica no litoral sul da colônia, na Baía de Guanabara, a povoação cresce como região portuária e comercial. No século XVIII, com o desenvolvimento da mineração, o Porto do Rio de Janeiro torna-se o principal centro exportador e importador para as vilas de Minas Gerais, por onde saem ouro e diamantes e entram escravos e manufaturados, entre outros produtos. Em 1763 a cidade transforma-se na sede do Governo Geral, em substituição a Salvador.
Em 1808, com a chegada da família real, o Rio torna-se a sede do governo português. Após a independência, a cidade continua como capital, enquanto a província enriquece com a agricultura canavieira da região de Campos e, principalmente, com o novo cultivo do café no Vale do Paraíba. Para separar a província e a capital do Império, a cidade converte-se, em 1834, em município neutro e a província do Rio de Janeiro passa a ter como capital Niterói.
Como centro político do país, o Rio concentra a vida político-partidária do Império e os movimentos abolicionista e republicano. Durante a República Velha, com a decadência de suas áreas cafeeiras, o estado perde a força política para São Paulo e Minas Gerais.

Comments are closed.